deficiente auditivo

Importância dos familiares e amigos na detecção da perda auditiva

O que percebemos hoje em dia é que cada vez mais cedo as pessoas estão perdendo a audição. O que antes era esperado por volta de 60 anos de idade, hoje a dificuldade de ouvir começa muitas vezes a aparecer em indivíduos mais jovens. Isso é resultado da poluição sonora que estamos expostos.
Com essa exposição contínua aos ruídos, a perda auditiva vai aumentando de forma progressiva e muitas vezes a pessoa não consegue perceber a evolução da perda auditiva. Na grande maioria de vezes, quem percebe que a pessoa esta com dificuldade de ouvir são os familiares e pessoas que convivem com o deficiente auditivo. Essas pessoas percebem que a pessoa com dificuldade auditiva começa a ter dificuldade de entender, pede para repetir frases, escuta TV muito alta e até mesmo se isolam para evitar situações que sabem que não vão ouvir bem, como em uma reunião de família ou mesmo em uma festa.
Com essa percepção, os familiares e amigos são normalmente as pessoas que insistem para o deficiente auditivo procurar ajuda e investir em um ou dois aparelhos auditivos.
O familiar passa a ter interesse em que a pessoa com dificuldade auditiva use aparelho auditivo, pois quer o bem da pessoa e que ela possa participar novamente da vida social. Também quer ter mais facilidade de se comunicar com o deficiente auditivo e evitar situações desconfortáveis como ter que pedir para a pessoa abaixar o volume da TV ou ter que ficar repetindo diversas vezes até que o deficiente auditivo entenda a frase.
No fim das contas, o uso do aparelho auditivo será vantajoso tanto para o usuário, que terá uma qualidade de vida melhor, como para os familiares e pessoas próximas, que irão ver o usuário de prótese auditiva se comunicando melhor e participando mais das conversas. Se você conhece alguém que apresenta sinais de dificuldade auditiva, procure um centro auditivo.



Uso unilateral X bilateral

Temos dois ouvidos, certo?! Isso não é por acaso. Para que nosso sistema auditivo funcione bem precisamos da informação sonora de ambos os ouvidos para que chegue de forma completa no cérebro e seja melhor interpretada.
Quando o paciente possui perda nos dois ouvidos, o ideal é o uso de dois aparelhos auditivos para se ter um resultado mais positivo.
Porém muitas pessoas optam em começar o uso apenas em um ouvido, mesmo tendo a perda auditiva nos dois ouvidos. Isso pode ser feito e o uso de um aparelho auditivo já irá ajudar bastante o deficiente auditivo. Porém deve-se ter conciência de que o ideal é o uso bilateral para se ter um resultado melhor e que muitas vezes com aparelho apenas, apesar do paciente notar a melhora, não fica totalemnte satisfeito pela falta do outro lado.



O Zumbido

O Zumbido nada mais é do que um ruído interno, o qual não esta no ambiente e sim apenas no ouvido do paciente. O zumbido costuma vir acompanhado da perda auditiva e é muito comum e presente em idosos.
É o resultado da morte das células do ouvido, que fazem com que o deficiente auditivo ouça sons como apitos, chiados, etc.
Muitas vezes o zumbido aparece antes do sintomas da dificuldade de ouvir. Isso porque o paciente já possui a perda auditiva mas ela ainda esta muito no começo e a pessoa não nota.

Nos últimos anos muitos tratamentos para zumbido estão sendo testados. Porém até agora não se encontrou a cura para o zumbido.
Uma boa indicação é o uso de aparelho auditivo quando o zumbido esta associado à perda auditiva que tenha indicação do uso do aparelho de amplificação sonora individual (AASI).
O aparelho auditivo (AASI) irá incrementar os sons do ambiente e com isso o zumbido fica mascarado e escondido por trás dos sons externos. Para muitos pacientes o uso do aparelho auditivo ameniza bastante o zumbido, que na verdade permanece, mas passa despercebido já que o paciente passa a ouvir melhor os sons externos.



Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI)

Todas as denominações a cima significam a mesma coisa. O aparelho auditivo é um sistema de amplificação e tratamento do som externo que é conduzido para o ouvido do deficiente auditivo. Existem muitos modelos, marcas, tecnologia e recursos que serão empregados de acordo com a perda auditiva e com as necessidades individuais do paciente.

Os aparelhos auditivos são usados com baterias e pilhas que podem durar de 5 dias até 1 mês dependendo do modelo do AASI.
Todos os modelos de aparelho auditivo amplificam o som, porém existem outros tratamentos dados ao som externo que fazem com que o som chegue mais limpo e claro para o usuário. Esses tratamentos do som são feitos por diversos tipos de recursos que um aparelho auditivo pode ter. Quanto mais recursos o aparelho tiver, melhor será sua qualidade sonora.
Os aparelhos auditivos podem ser digitais ou analógicos, sendo os últimos mais simples.